Foto: Nicola Gori-CNA

Carlo Acutis: o anjo da Juventude

Descobrir na vida de Carlo Acutis a alegria de ser um jovem que gostava de brincar com os amigos, jogar videogame, se vestir como tantos jovens, ser alegre e nunca perder o sorriso no rosto, mesmo diante da dor e de todo o sofrimento. Transmitia aspectos de uma vida de espiritualidade eucarística e de devoção a Nossa Senhora. Nesta entrevista Pe. Ricardo Figueiredo, autor do livro, “Não eu, mas Deus” – biografia espiritual de Carlo Acutis, lançado no Brasil pela Paulus Editora revela um pouco da vida do jovem a caminho dos altares.
Ricardo Gomes – Diocese de Campos
Carlo Acutis comprovou que é possível a um jovem viver a santidade sendo original. Nascido em Londres em1991 foi com seus pais morar na Itália e desde a infância descobriu um caminho espiritual de amor a Jesus Eucarístico e buscou durante sua vida essa intimidade na Eucaristia. Com o tempo descobre a devoção a Nossa Senhora, mas continua a sua vida de jovem. Amigo e companheiro destacou na caridade um sentimento que o levou a amar a todos em especial os mais pobres e excluídos. Ao descobrir a leucemia que o levou ao Hospital decidiu oferecer seu sofrimento pelo Papa Bento XVI e pela igreja Faleceu nas primeiras horas do dia 12 de outubro de 2006, com apenas 15 anos.
Descobrir o itinerário espiritual, a alegria e a vivencia da fé de Carlo Acutis. Pe. Ricardo Figueiredo fala de como descobriu o jovem e revela aspectos de uma fé madura e como aceitou a doença que o levou a morte, sempre mantendo o sorriso e a alegria. E com a beatificação impactou pessoas de todas as gerações a buscarem a fé no Servo de Deus a caminho dos altares.
“Descobri Carlo Acutis quando o decreto de reconhecimento das virtudes heroicas foi publicado.
Senti-me automaticamente atraído pela história dele: ele nasceu em 1991, eu em 1990 e vi como ele era próximo de mim e de tantos jovens de hoje. É um modelo de como viver a vida cristã nos nossos dias”, padre Figueiredo.
Padre Ricardo Figueiredo
A lição de Carlo Acusti é ser um jovem alegre e que vivia na Terra com os olhos voltados para o infinito e desde criança aspirava ser santo. Partilhou com os amigos a alegria de um jovem que gostava de jogar bola, assistir desenhos animados, brincar de videogame e nunca perder o foco que é manter o coração puro de atitudes que desagradassem a Deus. Recebeu a doença como um momento de seu voo rumo à Pátria Celeste. Jovem, amante de computadores e apaixonado por Jesus Cristo. É o mais recente exemplo de santidade que a Igreja propõe para todos.
“Jovem amante de computadores e apaixonado por Jesus Cristo. É o mais recente exemplo de santidade que a Igreja propõe para todos. Ao mesmo tempo entra os seus amigos Carlo é verdadeiro apostolo. Primeiro na escola como sempre uma grande preocupação em defender os mais fracos.
Com seu grupo de amigos dá conselhos para que todos levem uma vida de acordo com a proposta cristã. Alertava os colegas e amigos para os perigos do mau uso dos computadores. Levava uma vida muito pura no trato com todos, especialmente os mais jovens”, destaca padre Figueiredo.
Um gênio na Informática
Desde cedo já despontava um gênio da informática e surpreendia a todos com a sua capacidade. E através da Internet realizou ações visando evangelizar na rede mundial. Um dom que procurou aperfeiçoar. Alguns engenheiros de computação e amigos da família ficavam encantados com a capacidade e os conhecimentos de Carlo.
“Aplicou os conhecimentos e o gosto pelos computadores também na obra da evangelização, além de vários filmes de entretenimento e criou vídeos em que seus animais de estimação empenhavam os papeis principais. Fazia pequenos filmes em que apresentava pontos sobre a fé, especialmente a Eucaristia. Montava filmes em que procurava mostrar a beleza da criação e a beleza da presença de  Deus na vida das pessoas. O talento de Carlo para a informática pode torná-lo um excelente padroeiro para os internautas. Carlo teve muito presente essa vontade de evangelizar através dos meios digitais, por isso é exemplo para todos”, revela.
Apostolo da Eucaristia
A Eucaristia e a Adoração ao Santíssimo foi um pilar importante na vida de Carlo Acutis. Participava diariamente da Santa Missa e reservava momentos para adorar a Jesus Eucarístico. E essa espiritualidade era vivida concretamente no amor aos pobres. Em sua casa levava alimento aos desabrigados. E esse exemplo que deve ser seguido pelos jovens. De amor a Cristo presente na Eucaristia e no cuidado com os pobres.
“Na sua participação diária na Santa Missa, Carlo procurava chegar mais cedo para alguns momentos adorar a Jesus. No final permanecia também alguns momentos em adoração para agradecer a Jesus o grande dom ao homem ao se tornar presente no Sacramento da Eucaristia. Para Carlo a eucaristia é o diálogo intimo e seguro com Jesus. A presença de Nossa Senhora na vida de Carlo acontecia de forma particular através da oração do terço”, disse o padre Figueiredo.
O Carlo mostra como a fé sem obras está morta. A fé que ele vivia, a sua vida de oração muito exigente resultava numa caridade pronta e total aos mais necessitados. A vida cristã tem de ser sustentada por três «pilares»: a doutrina (fé), a celebração (esperança) e a ação (caridade). Um cristão que não paute a sua vida por estes três elementos está a falhar em alguma coisa na sua vida.
“Impressiona a seriedade da sua vida cristã. Ele não faz «negociações» para ser cristão. Ele abraça a fé a sério e segue-a. Vê-se isso na forma como dá testemunho de Jesus, como procura adorar Jesus na Eucaristia, como se consagrava constantemente a Nossa Senhora. É impressionante como ele é, ao mesmo tempo, tão igual a qualquer jovem de hoje e ao mesmo tempo tão sério na vida cristã. O corpo intacto é um sinal bonito do significado do nosso corpo para Deus. A nossa alma e o nosso corpo foram criados à imagem e semelhança de Deus. Os corpos incorruptos dos santos mostram-nos que também o nosso corpo foi feito para a eternidade. Não «temos» somente um corpo, somos o nosso corpo. Os santos mostram isso e os corpos incorruptos são sinal desse «toque» de Deus na
nossa carne. É verdade que o corpo do Carlo não estava assim como o vimos nas fotografias. Foi tratado e preparado para ser mostrado, mas impressionou-me o que me escreveu a mãe do Carlo:
«He was intact». Carlo Acutis dizia: «Todos nascem como originais, muitos morrem como fotocópias». Ele ensinou que cada pessoa tem a possibilidade de procurar Deus de todo o coração e descobrir a vocação única e irrepetível que cada um tem. Ninguém deve ser uma «fotocópia» de outro: cada um deve tomar a vida a sério e ser santo. Os santos mostram onde a graça de Deus e o Evangelho nos podem levar e o Carlo é um exemplo claríssimo disso!”, conclui padre Figueiredo.

 

Foto: Nicola Gori-CNA

Publicado VaticanNews, 09/10/2020
O corpo de Carlos Acutis é custodiado por frades capuchinhos em Assis. A cerimônia de beatificação deste sábado, 10 de outubro, será feita direto da Basílica de São Francisco e será transmitida ao vivo pela Rádio Vaticano/Vatican News, com comentários em português, a partirdas 16h30 locais (11h30 no horário de Brasília).

Comentário do facebook